quinta-feira, 15 de setembro de 2011

AH, Setembro

  Paisagem em frente ao meu apartamento -Brasília
  Foto de Inês Sousa Lima
                                     
Setembro lembra flores e natureza, primavera. Recorda que ainda existe beleza apesar de tantos acontecimentos tristes que o mundo nos oferece em atos de maldade e violência e que os jornais apresentam em suas edições que são desfiles de dores que assolam o mundo. E quanto mais a mídia se esmera nas cenas pungentes do dia a dia, demonstrando quase que é lamentoso viver, mais as pessoas se deprimem e se escondem em um mar de medo e agonia.

Setembro fascina por sua beleza e brilho. E admiramos o espetáculo maravilhoso da natureza que se aprimora sempre em suas manifestações.

Queremos viver esse mês especial cheio de riqueza em suas potencialidades magníficas e que costumamos brindar com a poesia e ternura da primavera onipotente.

Ela existe apesar dos lamentos, da exposição de misérias, da desesperança que lançam a cada passo, da descrição de doenças cada vez mais tristes e que em contraposição recebem o reflexo da negatividade natural de um povo sofrido.

Respondemos então com a fé num horizonte que não foi insinuado. Horizonte que vislumbram apesar da exploração contínua de sofrimentos de toda a espécie.

Desejamos “sentir” Setembro, não só apreciarmos e desfrutarmos, porém viver da essência de seus dias coloridos e perfumados, do alento dos sonhos sugeridos e antevistos pela imaginação fecunda que os meses da estação das flores nos deixam entrever encantados.

A primavera está chegando devagarzinho e faceira trazendo os anos que se foram rápidos em constante nostalgia, os atuais que nos mostram a magia da vida presente com sua objetividade compensadora e atraente, em sensações acolhedoras e gentis. E o futuro que contemplamos muito longe com olhos na imaginação fascinante de fantasias desfiladas.

Setembro vem chegando faceira e dominadora, altiva e suave, esperançosa e titubeante carregando devagar e mansamente outra parte do ano que se esvai premente de deliberações importantes e procurando no aroma ambiental sua maior certeza de alegrias e prazeres.

Que setembro conduza não só à simpatia que expande, à primavera que enfeita e embeleza, às promessas de sonhos inebriantes, à suavidade da tepidez climática, mas transporte esperanças e maiores conquistas de valores reais, menos sofrimentos e a certeza de confiança nesse futuro que apesar de tudo transborda de pensamentos positivos.

Setembro aparece já com cores e vida, aroma requintado, sol quente nas manhãs luminosas a nos pedir que lhe dê um crédito de extrema confiança aprendendo a sorrir e a acreditar nesse mês especialmente gentil de expectativas e vida.

Queremos paz nessa guerra de nervos e de fatos contundentes que nossos olhos vêem extremamente cansados de presenças tão constrangedoras. Ansiamos pela paz no enunciado de desgraças e de desesperanças, de dor e doenças, de decepções e mesquinharias inúteis. Desejamos paz nesse mês de setembro tão cheio de poesia, circundado pelo arco íris de cores vibrantes e esperançosas.

Vânia Moreira Diniz

6 comentários:

  1. Lindo, mana. Gostei do "sentir" setembro especialmente. É porque é a época que mais gosto do ano. Você, aliás como sempre, o descreveu muito bem. Setembro, para mim, significa transformação, a mudança constante da natureza que tem influência direta em nossas vidas. Parabéns, mana, beijo grande. Cris

    ResponderExcluir
  2. Virgínia Fulber Além mar15 de setembro de 2011 15:45

    Belamente desfcrito em teu adorável texto Vaninha este mes colorido de que tanto gosto, inverno no sul vai se despedindo e o perfume é como as cores esperanço.
    adorei, abraços
    com afeto, virgínia fulber * além mar poetinha

    ResponderExcluir
  3. Pena que no Rio esteja um tempo tão feio !
    Parabéns pela beleza das palavras e pela esperança sempre, Vânia querida
    Beijos
    Maizé

    ResponderExcluir
  4. Vânia

    MA-RA-VI-LHO-SO!

    Abraços
    André

    ResponderExcluir
  5. Eliana Faro Valença16 de setembro de 2011 17:22

    Vâninha querida, em teu texto setembro é toda esperança renovada e ganha um brilho especial

    Parabéns Poeta e grata por nos presentear com mais esta gostosa leitura!

    beijinhos todos com carinho e admiração

    da Li

    Jardim Cósmico

    Recanto das Letras

    ResponderExcluir
  6. VANIA, AMEI TUDO DE SETEMBRO!!!!
    Hoje estou recordando nossos tempos de colegio, as colegas,a Toneleros, o Rio, o mar, a praias... coisas que nao tenho aqui no centro oeste.. sinto falta do mar, da atmosfera do mar, do posto 6 onde morava,na Sa Ferreira...
    dos barcos trazendo a pesca, tudo era muito lindo e eu sinto
    que queria voltar.. Volta ao passado nao é coisa boa... deixa pra la...
    Um grande abraço! vi seu blog...

    Vera Machado Pereira
    Intercâmbio Cultural
    erapereira@terra.com.br

    ResponderExcluir

Você também poderá gostar de:
Ocorreu um erro neste gadget