sexta-feira, 30 de setembro de 2011

A Manhã Me Entendeu...


A manhã me entendeu,
Veio escura me despertar,
Trazendo raios ocultos de esperança,
Pedindo-me que eu me levantasse,
Crendo como todos os dias,
Na vida ali fora a se desenrolar,
Dizendo-me dos dias que se sucedem,
Falando-me de seus contrastes,
Ensinando-me a crer nos dias mornos,
Implorando-me meu constante sorriso,
Nos momentos os mais diversos.

A manhã me entendeu,
fria e silenciosa me cercando,
Bafejando-me com seu hálito,
Relatando-me segredos,
Altiva e langorosa, ensinando-me,
O encanto das horas descrentes,
Fazendo-me aprender a suportar,
Dores e alegrias com igualdade,
Sendo a companhia mais perfeita,
Nos mistérios que se nos deparam,
Ao longo da caminhada.

A manhã me entendeu,
Meiga e doce a me esperar,
Sem impaciência ou aflições,
Desejando me restaurar,
Falando-me das horas exuberantes,
Do meu riso sem limites,
Das lágrimas incoerentes,
Dos sonhos tão intensos,
Aspiração e devaneios,
Pensamentos eloqüentes,
Entusiasmos desmedidos.

A manhã me entendeu,
Manta aquecida me estendeu,
Revelando a luz radiosa,
Mostrando-me o horizonte,
que eu tanto amava,
O amor que era profundo,
a paixão que me dominava,
Condensando-os num pacote,
Colorido e fascinante,
E depositando em meu coração,
A manhã me entendeu...

 Vânia Moreira Diniz

2 comentários:

  1. Que lindo! Vânia,
    nos trazendo um brilho da manhã cheio de raios da luz de sua doçura.
    Um abraço amiga.
    Rida

    ResponderExcluir
  2. Virgínia Além mar30 de setembro de 2011 23:43

    Vaninha a manhã te entende porque o cosmo vive dentro e fora de nós , como disse Bachelar , a casa vivida não é uma caixa inerte ...é o próprio cosmo... Parabéns manamiga Poeta de sensibilidade e talento reconhecido mundialmente !
    abraços tua vica

    "...Altiva e langorosa, ensinando-me,
    O encanto das horas descrentes,
    Fazendo-me aprender a suportar,
    Dores e alegrias com igualdade,
    Sendo a companhia mais perfeita,
    Nos mistérios que se nos deparam,
    Ao longo da caminhada...."
    com afeto, virgínia fulber * além mar poetinha

    ResponderExcluir

Você também poderá gostar de:
Ocorreu um erro neste gadget