sexta-feira, 25 de maio de 2012

Horizonte


Acordei com sabor de lágrimas,


Travesseiro úmido e diferente

Lembrei de uma dor estranha,

Que tinha atingido minha alma


Andei por estranhos caminhos,

Estive entre sonos e sonhos,

Falei com figuras desconhecidas,

E deitei em ombros protetores.


A ternura senti nessa passagem,

Inconsciente tão  acelerado,

Pediu-me  silenciosamente  calma ,

Enquanto meu espírito se revigorava.


Nesse caminho encontrei a certeza,

Nas minhas concentrações noturnas,

E pude vaguear lentamente,

Acreditando com fé no meu coração. 


Uma estranha paz me encontrou agora,

E em meus sentimentos fortaleza,

Muito amor a sentir nesse momento,

Enquanto tudo parece só harmonia.


Amor, paixão e ternura se entrelaçam,

Formando uma teia resistente,

Que me protegerá daqui para frente,

Com o horizonte iluminado e esperançoso.

Vânia Moreira Diniz

Um comentário:

  1. Delícia, caminhar com você, por este mundo de palavras, sonhos e poesia.Seus versos sempre acalmam o coração do leitor, trazendo-lhe a paz tão necessária nos dias de hoje. bjs

    ResponderExcluir

Você também poderá gostar de:
Ocorreu um erro neste gadget