quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Montanhas e Planícies



Montanhas e Planícies
Na juventude amei
E com carinho reiterei,
Minha paixão pelas montanhas
Que altas e majestosas,
Impunham-se maravilhosas.
E as planícies tranqüilas
Eu não olhava...
Costumava na distância
Admirar,
Pasmar,
Pensar,
Nos mistérios
Indecifráveis
Das montanhas inescrutáveis.
E as planícies suaves
Eu nem via...
Sonhava galgar,
Escalar
E descortinar,
O mundo de bem alto,
Lá da montanha
Majestosa,
Suntuosa,
Em seu soberbo perfil,
Viril.
E as doces planícies
Eu esquecia...
Arquitetava quimeras
E devaneava
Distante,
Em pensamentos constantes,
Intrigantes
E chocantes.
Sempre
Nas montanhas,
Em suas entranhas.
E as planícies eu nem
Conhecia. Indiferente...
Mas o tempo passou,
Eu já não delineava
O pico elevado,
Tão ressaltado,
Que impressionara
Os dias passados.
Suas proporções gigantescas,
O olhar não conseguia alcançar,
E os sonhos não atingiam o lugar
Que tanto me fascinara,
Encantara
E amara.
Percebi, então, que existiam planícies
Lindas, atraentes,
De beleza veemente,
Que inspiravam poesia e doçura.
Entendi que não conseguia enxergá-las,
Porque sempre olhava para o céu
E altiva,
Inacessível,
Impenetrável.
Não enxergava a terra
Só as serras...
E a planície, tão silenciosa,
Eu comecei a amar,
Gentis e amenas
Tolerantes
E rasteiras.
Vânia Moreira Diniz

5 comentários:

  1. Mais um maravilhoso momento seu.
    Obrigada Vânia.
    Um abraço.
    Rida

    ResponderExcluir
  2. Vaninha esta tua poesia é soberba , a metafora belíssima, e o interessante é que de uma cidade com topografia diversificada, recortada por altos picos, RJaneiro(nossa amada cidade maravilhosa) foste viver no
    Planalto central ...na regiãoplana porém
    de magna altitude...
    bem me passou pela cabeça ...
    o importante é : TUA POESIA é MAGISTRAL,
    amei, amei ritmo, tudo!
    abraços
    com afeto, da tua vica -virgínia fulber * além mar poetinha

    ResponderExcluir
  3. Muita delicadeza nessa mudança que tantos benefícios lhe trouxe, Vânia querida
    Adorei!!!!!
    Bjos
    Maizé

    ResponderExcluir
  4. Quanta realidade nesta poesia. E eu, sempre lhe acompanhando, sei que nas entrelinhas existe uma pessoa que soube amadurecer e que o passar dos anos se tornou mais bonita, sensível e capaz de vislumbrar as planícies da alma humana. Que lindo! Imagem coordenada com a poesia, mostra a delicadeza de sua obra. Beijo grande, mana, saudades!!!

    ResponderExcluir
  5. Belo Poema
    saudades das serras do Rio de Janeiro
    Um AxéPoético
    jorge

    ResponderExcluir

Você também poderá gostar de:
Ocorreu um erro neste gadget