sexta-feira, 28 de outubro de 2011

VIVER É UMA ARTE

Cada dia me parece completamente diferente um do outro, mesmo que façamos exatamente a mesma coisa. Aquela sensação de ser um dia único me persegue continuamente desde que eu era muito pequena. Todos os dias ao abrir os olhos tenho uma sensação de vida e curiosidade. E me pergunto: Quem sou? Quem sou realmente? E o que estarei fazendo por aqui? Vem de mim um sentimento que me parece sempre desconhecido, mas que tem a mesma origem: Muita ternura pelo  que se passa à minha volta.
   
 Tudo que aprendi desde sempre, como estarmos nos aperfeiçoando e cumprindo uma missão, era pouco no simbolismo que o despertar diário se me apresentava interiormente. E continuamente corria para realizar tudo que achasse importante. Nada podia esperar.

      
Hoje sinto isso da mesma forma contundente, mas estranhamente agradável. Como se viver fosse uma arte que eu precisasse aperfeiçoar. Nos pequenos detalhes, nos ínfimos gestos e nas palavras há um tempo espontâneas e cuidadosas.


Erguendo-me lentamente nessas horas primeiras da manhã em que o espírito dá uma a caminhada habitual trazendo para fora expectativas e lembrando sonhos e devaneios noturnos, tento explicar que espécie de efeito exótico é esse que me domina. Talvez seja a consciência de que meus passos continuam e que a vida aí está, cheia de encanto e ternura e com sentimentos deliciosamente incompreendidos.

Talvez seja a certeza da esperança e a influência da natureza cuja energia contagia ou a convicção de que momentos tristes sempre serão compensadores um dia. E principalmente talvez seja a própria vida que nos transmite essa emoção indescritível que nos faz vivê-la sem, contudo poder explicá-la em seu aspecto maior.


Viver é uma arte prazerosa como, aliás, o são todas as formas de expressão artística e devemos exercê-la com profundidade, sentindo sua beleza totalmente indescritível.


Apreciar a natureza, ouvir o canto dos pássaros, poder ser aquecida pelo sol, iluminada pela luz das estrelas, amar, sentir cada sensação que se nos apresenta e poder englobar isso tudo em sentimentos verdadeiros e preciosos é realmente algo que não podemos compreender tal o fascínio que encerra.

Ao levantar-me pela manhã fico sempre pensando o que será e de que forma encararei cada momento daquele dia. E aquela sensação desconhecida a que me referi é intensa. Intensa e cheia de expectativa agradecendo ao Senhor do Universo mais um dia anunciado.


 Recordo então um mundo transbordante sem ter necessariamente idéia das surpresas que aparecerão em meu caminho. E deixo-me arrastar, meio tonta, procurando delirantemente a lucidez, da qual poderei precisar mesmo encarando com certo deslumbramento consciente e preventivo o dia a dia inesperado.


Sei que nunca estaremos preparados para as aflições e tristezas, mas essas terão que ser sobrepujadas com a força do tempo que nos ensinará o caminho certo. E que amadurecerão nosso espírito por vezes infantil e ainda frágil. Compreendo nesse momento que o processo de verdadeiro amadurecimento já chegou e que preciso deixar frutos preciosos para as  gerações subseqüentes.


Sobrevivo apreciando a arte de viver em cada pequeno gesto compensador de procura e encontro, no desejo de saborear os pequenos acontecimentos e de tirar disso a sua essência mais saborosa. 


                                            

                                       Vânia Moreira Diniz

3 comentários:

  1. Li este texto de forma ávida e procurando tirar dele o maior proveito possível. Sim, sim, concordo, viver é uma arte e você, como ninguém sabe usufrui-la, senti-la, inebriada com este presente. Neste texto, está sua alma, que tão bem conheço e aprendi a amar desde pequena. Adorei o que escreveu e me fez bem, como sempre!!! beijão Cris

    ResponderExcluir
  2. Parabéns amiga Vânia
    como sempre você nos surpreende com a intensidade de tudo que faz.
    Um grande abraço.
    Rida

    ResponderExcluir
  3. "...Viver é uma arte prazerosa como, aliás, o são todas as formas de expressão artística e devemos exercê-la com profundidade, sentindo sua beleza totalmente indescritível.

    Apreciar a natureza, ouvir o canto dos pássaros, poder ser aquecida pelo sol, iluminada pela luz das estrelas, amar, sentir cada sensação que se nos apresenta e poder englobar isso tudo em sentimentos verdadeiros e preciosos é realmente algo que não podemos compreender tal o fascínio que encerra. ..."Vânia Moreira Diniz

    Querida e nobre Poeta e Escritora Vaninha, como diria Nietzsche transformar a vida em obra de arte , esta é nossa tarefa mor. Parabéns por tua capacidade perceptiva e abertura ao sensível . abraços

    com afeto e damiração, tua vica virgínia fulber * além mar poetinha
    Novo Hamburgo RS BR vicamf@yahoo.com.br
    http://vicamf.multiply.com/

    ResponderExcluir

Você também poderá gostar de:
Ocorreu um erro neste gadget