domingo, 8 de fevereiro de 2015

Enigma de Vânia Moreira Diniz


             
Procuro decifrar esse enigma,

Sem entender a sua estrutura,

E me vejo ainda desconsolada,

Com essa fatal e indócil certeza.

Olho o céu, o mar e a terra,

Na infinidade de tanta beleza,

Pergunto porque finaliza a vida,

Se tudo se funde e equilibra.

Admiro as árvores tão robustas,

De folhas vigorosas encobertas,

O viço perene  a  protegê-las,

E cismo quem o segredo advinha.

Sinto no peito essa ânsia imensa,

Que se estende cada vez mais plena,

E indago à sábia e imutável natureza,

O mistério de sua eterna energia.

Mas desse recanto vou embora um dia,

Deixando para trás cada lembrança,

Esquecendo talvez momentos de ternura,

E a razão de tanta suavidade perdida.


Não quero pensar no destino agora,

Prefiro viver por enquanto cada hora,

Intensamente esse instante saborear,

Olvidando tão profundo enigma.

Apreciar intensamente o mar,

Viver todas  as fases do amar,

Entender cada nuance do teu olhar.

Enquanto o horizonte posso apreciar.



          www.vaniadiniz.pro.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você também poderá gostar de:
Ocorreu um erro neste gadget