domingo, 8 de fevereiro de 2015

Quando...

Quando o meu céu clarear,

Quando as nuvens se condensarem,

Quando a luz aparecer brilhante,

E as estrelas voltarem a cintilar,



Quando entender minha linguagem,

A falar de amor com naturalidade,

E procurar em meu coração a liberdade,

Quando puder olhar para o horizonte,



Quando fechar os olhos suavemente,

E mesmo assim enxergar as imagens,

Que fazem parte da minha história,

Quando sonhar com arco-íris  novamente,



Quando entender a ternura de teu olhar,

E segurar tuas mãos retendo o calor,

Verificando que o desejo está próximo

E a razão parcialmente encoberta,



Quando puder sentir em meus olhos

O colorido da natureza absorvente,

E a energia dominar meu inconsciente,

Quando comentar a beleza do planeta,



Quando os elementos naturais me dominarem,

E puder novamente alcançar minha alma,

Tê-la entre as mãos e compreendê-la,

Sem a estranheza de nenhum momento,



Então  estarei vivendo copiosamente,

Saboreando o fruto especial e deleitoso,

Usufruindo da vida todos os elementos

E  redistribuindo as dádivas que me doaram.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você também poderá gostar de:
Ocorreu um erro neste gadget