quinta-feira, 15 de março de 2012

Duas Vertentes

                  
A indiferença está tão grande acrescida sempre da violência em todos os setores da vida que nos perguntamos o porquê  de muitas comemorações hipócritas ou palavras doces que rodeiam as pessoas entre si. A verdade dificilmente se apresenta com suas cores naturais e a singeleza com que vemos a dor e os sofrimentos de outras pessoas é simplesmente patética.

Agora que a tecnologia tomou conta de tudo e deveria ser um ponto positivo e atuante,  sentimos até virtualmente esse cruel egocentrismo, mesmo com as delicadezas e as flores que de instante a instante se jogam em grupos e nos e-mails. Isso é fácil quando não precisamos nos esforçar para dar ao outro o carinho e aconchego que deveria ser tão simples no ser humano.

Adoro a informática, mas lamento que ela esteja servindo na maioria das vezes para acirrar o egoísmo, a centralização única nos próprios trabalhos, esquecendo que é dando que se recebe e incentivando na criança e no jovem  a insensibilidade quando se trata de seu próximo.

Ao mesmo tempo sou verdadeiramente fascinada pela tecnologia que em poucos segundos nos leva a países e continentes distantes e nos dá chances incríveis em todos os tipos de assuntos, estudos ou pesquisas. Um texto que preparávamos  numa longa vigília, jogando papéis fora e tendo um trabalho ilimitado atualmente é um passe de mágica, fascínio que nos encanta e economiza horas e horas de trabalho.

A internet então nem se fala, com toda a sedução de explorar o universo no exato momento que desejamos.  E a fatal indiferença me parece mais evidente principalmente pela assiduidade com que nos deparamos com misérias e dores alheias aumentadas a cada dia que passa, lamentavelmente.

Sinto que muitas pessoas sentem uma solidão gerada talvez pelo frio contato do computador sem o efusivo aperto de mãos, olhos nos olhos e o aquecimento do abraço confortador. Isso porque a maioria se isola apenas num mundo frio e mesmo assim, sente a distância até das palavras porque o e-mail é em sua maioria algo frio e impessoal.

Devemos, no entanto, valorizar o que o computador e a internet podem nos trazer de felicidade. Há algum tempo encontrei uma amiga de longos anos. Nós nos distanciamos pela própria vida e porque seguimos caminhos diferentes, ela foi morar e casou na Alemanha. Quando me escreveu depois de me localizar na Usina de letras a alegria transbordou e prometemos que jamais deixaríamos a distância se interpor entre nós e nossa terna amizade fraternal. Vania é minha xará, amiga, confidente, voltamos a nos encontrar várias vezes e estamos até fazendo trabalho juntas. Nossas famílias se conhecem bem. Foi realmente uma alegria.

A vida tem sempre duas vertentes, por isso nos momentos atuais em que estamos presenciando os acontecimentos brasileiros que nos trazem tristeza e perplexidade, precisamos ter esperanças  acompanhando  cada passo do que está acontecendo em nosso país e sabendo discernir para não errar na hora crucial do voto consciente.

Duas vertentes também para nós, utilizando a proximidade da tecnologia para não transformá-la em um abismo de impassibilidade, mas aproveitando para nos unir, mesmo porque a vida é infinitamente curta. Procurarei transformar a minha reflexão num conteúdo de verdade para mim mesma.

11 comentários:

  1. Parabéns querida amiga Vânia
    por mais este momento de tamanha lucidez e boa escrita.
    Um abraço.
    Rida... talvez vivendo uma destas vertentes.

    ResponderExcluir
  2. Meireluce Fernandes15 de março de 2012 16:23

    Parabéns, amiga-Presidente, por este texto tão belo e verdadeiro. Concordo com você em tudo.
    Grande abraço,
    Meire

    ResponderExcluir
  3. Poetisa Efigênia:
    Estou totalmente com seu pensar, O artigo Duas Vertentes de Vânia Moreira Diniz , é perfeito e atualíssimo e bem merece viajar pelo mundo por aquele mesmo instrumento que a autora destaca.Obrigado colega inuernauta e estenda meus parabéns à escritora que orgulha a internet e a literatura nacional.
    Lino Vitti Príncipe dos Poetas de Piracicaba
    ________________________________________

    ResponderExcluir
  4. Vânia mui querida
    Ainda bem que temos a vertente do amor para escolhermos neste caótico mundo. E esta nossa vertente, como bem fala uma pessoa que diz e faz, nos alimenta para uma vida bem vivida, a seu exemplo. Belíssimo texto, amiga exemplo de como se junta o virtual e o real embela amizade.
    Beijos e parabéns por mais um texto lindo.
    Maizé

    ResponderExcluir
  5. Efigênia Coutinho15 de março de 2012 16:52

    Grande momento de uma boa reflexão ao Texto da Escritora Vânia Moreira Diniz .
    Concordo com ela em tudo, e também me questiono deste egoísmo visto aqui, onde deveriam ser unidos, até porque, escritor de verdade, escreve e não da vexames cibernéticos, grosseiros, próprio de pessoas que se dizem os melhores do mundo, dinheiro e diplomas e ou medalhas, não são virtudes da boa educação !
    PARABÉNS VÂNIA MOREIRA DINIZ
    Com admiração,Efigênia Coutinho

    ResponderExcluir
  6. Marcia Maria Luconi15 de março de 2012 18:01

    Postada por:
    Nome:Marcia Maria Luconi
    Email:mmluconi@gmail.com

    Seu site: http://mensagensdepazamorefe.blogspot.com/
    http://textoscontextosereflexoes.blogspot.com/
    Cidade: São Vicente

    Mensagem:
    Levanto para aplaudir a escritora Vania, um texto que contem a grande realidade da humanidade nos dias de hoje, infelizmente ela está coberta de razão, mas como ela mesma disse tudo tem dois lados e cabe a nós sabermos seguir o lado certo da moeda, procurando sempre estar com a nossa consciência tranquila e não esperando retornos nem muito obrigada a cada carinho que fizermos no coração de nosso próximo. Aquele que faz com sinceridade não espera retorno, pelo contrário, espera sim ter conseguido ajudar o amigo de alguma forma, espera ter semeado a boa semente no coração de alguém, parabéns Vania e que venham mais crônicas como esta que muito nos edifica, parabéns a Efigênia querida por compartilhar sempre conosco o que há de melhor, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  7. MUITO VERDADEIRO, VÂNIA! PARABÉNS!
    ABRAÇO
    SCYLA

    ResponderExcluir
  8. Querida Vaninha, teu tx. que levanta questões sobre os relacionamentos humanos que infelizmente continuam como sempre foram a meu ver. O narcisismo de certos indivíduos
    fica evidente seja em contatos pessoais ou na web. A natureza humana é complexa o que vale são os bons , salutares encontros sejam através de cartas a moda antiga, telefonemas e mais recentemente através da rede... Problemas de relacionamento interpessoais são uma realidade com a qual aprendemos a superar e buscamos, alguns de nós, avaliar anós mesmos e independente da forma de contato melhorarmos enquanto pessoas.
    És para mim além de grande escritora e poeta uma amiga com letras maiúsculas.
    parabéns pelo tx. que remete a reflexão.
    abraços afetuosos de tua admiradora e grata leitoramiga,

    virgínia fulber RS- Brasil-

    ResponderExcluir
  9. Mana, como sempre brilhante! E concordo com tudo que você diz. Muito fácil mandar flores, difícil é dar de si. Como você, amo tecnologia e devemos divulgar cada vez mais textos como estes. Parabéns mana, pela crônica de extremo bom gosto, colocada de maneira honesta e imagem linda. bjs. cris

    ResponderExcluir
  10. Concordo plenamente com o texto de nossa Escritora Vânia Diniz.
    Ao mesmo tempo que a tecnologia facilita a aproximação entre as pessoas, ela ajuda a esfriar
    os relacionamentos de amizade, desencadeando o egoismo, a inveja, etc.
    Mas isso depende de cada um de nós. Trabalhemos então para reverter essas consequências destrutivas.
    Precisamos não ter medo de amar, de sermos leais e reais.
    Parabéns querida Vânia!
    Beijos.
    Malu

    ResponderExcluir
  11. Maravilhosa reflexão, Vânia!
    Mais uma vez registre os meus sinceros parabéns.
    Abraços deste fã,
    André

    ResponderExcluir

Você também poderá gostar de:
Ocorreu um erro neste gadget