domingo, 19 de junho de 2011

Meus pares, os seres humanos


Sinto em meus pares o caminhar da humanidade. O sentir, o pensar, a alegria de certos momentos, o entusiasmo que se espalha persistente e por que não dizer, a tristeza de certos momentos que nos induz e ao mesmo tempo seduz nas horas em que o sentimento está se exercendo.

Vou caminhando pela vida e percebo as mãos que se tocam, o mistério das mensagens que se  transmitem, e os passos sempre ritmados nos gestos, nas palavras e nos olhares que se cruzam.

Na marcha inexorável do tempo pude compreender o quanto de solidariedade e amor, me transmitiram e continuo minha estrada sempre agradecendo o mistério dos acontecimentos, a ternura que não cabe no peito e me pergunto o porquê de nossa presença neste planeta maravilhoso.

Acho que hoje, na maturidade posso entender e dar uma resposta que não conseguia nos albores de minha mocidade, quando a vida parece indecifrável e o momento é para correr em busca de tudo que nos parece enigmático.

Meus amigos, os seres humanos continuam sendo apesar dos inúmeros casos de violência, frustrações  e dor inexorável, os maiores e melhores companheiros e aqueles que são capazes de oferecer o coração ou sentir exatamente o que eu sinto compreendendo, amando, e fazendo todos os gestos de amor possíveis e necessários.

Com eles, com meus precursores aprendi a me posicionar, a sentir e entender  tudo que se estendia à minha frente e amar esse horizonte que continua iluminado e detentor de segredos intransmissíveis.
Com meus contemporâneos sinto o valor do companheirismo, altruísmo, o entendimento de mistérios que não podemos discernir e com os mais jovens a esperança de desbravar todos os intervalos e saber sobrepujar com galhardia os obstáculos.

Vou caminhando, sentindo a presença de meus pares, os seres humanos, maravilhosos semelhantes cujos sentimentos me fascinam e que me transmitem sempre a sensação aconchegante da mão estendida e as lembranças que ficarão eternamente gravadas.

Meus pares, os seres humanos uns à frente e outros jovens ou que nascerão esperando que deixemos um fruto saboroso para que eles possam experimentar serão sempre nossos melhores companheiros, ídolos que por vezes à distância admiramos ou admiraremos em certo momento e num espaço que ainda não sabemos qual será.

Vânia Moreira Diniz
19-06-2011

4 comentários:

  1. Vâninha minha querida Amiga...Bravo!Bravo!
    Que Beleza de postagem! Puro aconchego!
    A imagem é um charme cheio de carinho
    O texto é mais uma lição de amor verdadeiro,
    arte literária e cuidado para com o próximo
    Quanta ternura em tuas Palavras Poeta Amada!
    Me deixou emocionada e agradecida por tua
    presença em meu viver!
    Grata sempre Vâninha

    beijinhos com Amor e Admiração...da Li

    ResponderExcluir
  2. Escritora Vaninha querida é com imenso prazer que leio tua sublime crônica, no http://ressurgindo.blogspot.com/2011/06/meus-pares-os-seres-humanos.html

    Sim sublime pois que resides num patamar acima, como a ilustração simpática que colore teu blog e deixa transparecer uma angelical e sorridente parte de teu ser, és Poeta ilustre amiga, és repleta do sentimento mais nobre; o perdão pela perversidade, fruto da ignorância, que nos cerca, consegues com bons olhos e generoso coração perceber a luz em teus pares.
    Mto. emociona-me a suavidade, fruto da maturidade.
    Que bom que andamos de mão dadas neste mar de gentilezas para com o passado e com esperança no futuro ...Parabéns !

    afetuoso abraço desta tua de sempre grata amiga e aprendiz ,
    virgínia fulber, além mar poetinha

    Lembranças, algumas são como algodão doce... amigos ausentes estão internalizados como bons objetos de quando em quando olhando para o céu suspiro...são nestes momentos que estou mais próxima do que me tornei por ter havido tão
    bons e alegres encontros; tantos e tão bons amigos... virgínia além & ao mar...

    ResponderExcluir
  3. Minha amiga, Vânia,
    fiquei sensibilizada com suas palavras, e agradeço o seu carinho e sua atenção.
    Outro dia entrei n o site que você enviou, para vê-la e ouví-la. Você é uma pessoa muito especial, aberta, digo mesmo, magnânima, desprendida, porque abraçando de corpo e alma a literatura, incentiva outros escritores, dá-lhes espaço, projetando mesmo tantos nomes com o seu portal. E isso é uma coisa que me honra muito.
    Sttela Mello

    ResponderExcluir
  4. Comentário de Cristina Arraes:

    Oi mana, que bom saber que tem pessoas que ainda acreditam em seus pares, os seres humanos. Sei que você é uma destas pessoas. Seu olhar é sempre complascente e sempre ofertando o benefício da defesa. Compreende bem o coração humano. Belo texto, necessário para este mundo em que estamos vivendo.
    beijão Cris

    ResponderExcluir

Você também poderá gostar de:
Ocorreu um erro neste gadget